BI e ferramentas analíticas: união que faz a diferença (3ª parte)

22 de outubro de 2012   |   
B.I., Gestão

À medida que os fornecedores de software se empenharem em acrescentar funcionalidade de análise de texto aos seus portfólios de BI, os integradores de sistemas serão os primeiros a capitalizar o interesse corporativo pelos sistemas combinados, sentencia Evelson, da Forrester.

“Ainda é, em grande parte, um jogo de integração”, diz ele. Além do investimento em software, é preciso destinar cerca de 4 dólares a integração de sistemas para cada dólar gasto com software.”
BI e análise de texto evitaram a amputação de uma perna. Aliar análise de texto a business intelligence fez uma grande diferença na vida de uma profissional de TI que utilizou os conceitos subjacentes ao casamento entre as duas tecnologias para impedir que a perna do seu marido fosse amputada. Para Patricia Cerrito, professora de matemática da Universidade de Louisville, o abismo entre BI e texto tinha repercussões potencialmente devastadoras. Com diabete e osteomielite, uma inflamação do osso causada por infecção, o marido de Patricia enfrentou a possibilidade de uma amputação logo abaixo do joelho.
Um tratamento alternativo envolvia um determinado antibiótico. Mas os médicos relutavam em consentir a não ser que Patricia, pessoalmente, fornecesse informação sobre dosagem e efeitos colaterais. “Os médicos sabiam que tínhamos conhecimento nesta área e, afinal de contas, a perna era do meu marido”, diz a professora, acrescentando que a maioria dos médicos é receptiva a adiar uma amputação contanto que isso seja feito com um grau de segurança.

Para coletar a informação solicitada, Patricia reuniu dados de BI estruturados relacionados a prescrições e combinou com informação preparada por médicos individuais. O problema era que a informação sobre pacientes preparada por médicos tende a ficar espalhada em diferentes aplicações de gerenciamento de documentos e outros sistemas. “Os médicos são empreendedores independentes. Por esta razão, a mudança é lenta, principalmente quando envolve mudar a perspectiva do gerenciamento de doenças”, aponta. Agora, Patricia quer ajudar a tornar disponíveis mais informações sobre tratamentos alternativos para doenças específicas por meio da criação de interfaces entre bancos de dados de BI estruturados e texto não-estruturado.

Com o uso do SAS Text Miner, “já é possível examinar decisões criando seqüências de texto a partir de múltiplas colunas de informação”, revela.
O Text Miner explora estas seqüências, formatando e classificando documentos depois de detectar relações entre as porções de informação baseadas em texto. Desta forma, Patricia, seu marido e seus alunos podem pesquisar dados armazenados nos sistemas de cobrança do hospital e em anotações em prontuários médicos. Patrícia volta ao ponto de partida para ajudar as pessoas. “Esta experiência me levou a pensar se outros pacientes em circunstâncias semelhantes teriam a perna amputada por desconhecer alternativas”, questiona.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *